Consult english version


SOFTWARE


 
Introdução Sistema de Suporte
à Decisão (SSD)
Sistema
de Informação
Sistema
de Modelação
Sistema
de Análise


Aplicação
POM-GUI

Sistema de Informação

As aplicações desenvolvidas para o Sistema de Informação permitem a visualização de informação georreferenciada, estando essa informação armazenada no servidor de Base de Dados. É possível aceder não só a vistas detalhadas da rede fluvial, como ao sistema de gestão de dados de monitorização (dados meteorológicos, hidrométricos e de qualidade da água). O fácil acesso a informação georreferenciada é sempre fundamental em qualquer ferramenta de um Sistema de Modelação.

Aplicações Web desenvolvidas para o Sistema de Informação:





WEB-SIG: SISTEMA DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA DE INFRA-ESTRUTURAS

Num sistema de informação geográfica a cada tema é associado um conjunto de dados alfanuméricos que constam de uma base de dados, informação que permite ao utilizador um conhecimento detalhado das estruturas seleccionadas. Na plataforma aqui apresentada, a informação georreferenciada é organizada num Sistema de Informação Geográfica utilizando como ferramenta auxiliar o software Arcview. A disponibilização do serviço de mapas através da Web (Serviço Web-SIG GeoClient) é conseguida utilizando a aplicação de base GeoClient, à qual foram adicionadas algumas funcionalidades extra.

Figura 1

Figura 1 - Estrutura da aplicação responsável pela disponibilização do serviço Web-SIG.

A composição do mapa a visualizar pelo utilizador é definida a partir de um formulário com os temas disponíveis na base de dados, construído automaticamente no momento da consulta (Figura 1). Podem ainda ser utilizadas composições de mapas predefinidas pelo administrador da base de dados. Da aplicação responsável pela geração do formulário resulta a visualização do mapa na aplicação Geoclient (Figura 2).

Figura 2

Figura 2 - Aspecto geral da interface GeoClient do serviço Web-SIG.

No topo da janela encontra-se a barra de ferramentas, que permite mostrar mais ou menos detalhe, identificar estruturas visíveis no mapa, colocar etiquetas sobre as entidades gráficas, exportar os temas para o GoogleEarth, entre outras funcionalidades.

No lado direito da janela encontra-se o mini-mapa (útil para situar a área visível do mapa) e a legenda, que contém a lista de temas que fazem parte do mapa. A lista de temas permite ao utilizador definir quais os temas que deverão estar visíveis, para além de permitir outros tipos de configurações, como por exemplo, a cor a utilizar para cada tema, ou então se preferir, a coloração por classes de valores.

Estes mapas interactivos permitem explorar informação relativa aos vários temas, explorando visualmente o território e fazendo pesquisas de determinada informação, apresentando esses resultados sob a forma de tabela ou gráfico (Figura 3).

Figura 3

Figura 3 - Consulta de informação na aplicação GeoClient do serviço Web-SIG.


Assim, de entre as principais funcionalidades desta aplicação, destacam-se as seguintes:

  • Apresentação de temas do tipo ponto, linha ou polígono;
  • Possibilidade de navegação sobre o mapa (alteração da escala e translações);
  • Consulta de informação associada às entidades gráficas;
  • Colocação manual ou automática de etiquetas sobre as entidades gráficas;
  • Apresentação de legenda configurável;
  • Visualização de informação organizada por classes;
  • Pesquisa espacial com resultados em gráfico ou tabela;
  • Exportação do mapa para ficheiro compatível com leitura na aplicação GoogleEarth (extensão KML);
  • Apresentação de mapa de enquadramento (mini-mapa);
  • Selecção de opções de visualização.




APRESENTAÇÃO DE INFORMAÇÃO DETALHADA SOBRE LINHAS DE ÁGUA

A apresentação de informação georreferenciada pode também ser feita através da interface de apresentação de informação detalhada sobre linhas de água. Esta interface permite identificar, sobre ortofotomapas e limites administrativos, o eixo das linhas de água e respectivas margens, bem como a localização de infra-estruturas relevantes: captações, descargas de águas residuais, barragens, açudes, construções ribeirinhas, edifícios industriais e estações de monitorização. Para cada uma das estruturas assinaladas é possível consultar informação associada, existente na Base de Dados.

Assim é possível realizar uma visita virtual às linhas de água, permitindo localizar infra-estruturas relevantes para o conhecimento do funcionamento hidráulico e de qualidade da água dos cursos fluviais. A navegação sobre a rede hidrográfica é orientada por linhas de água. A partir de um mapa inicial é seleccionada a linha de água que se pretende consultar e posteriormente são disponibilizadas ao cliente ferramentas de navegação e uma legenda interactiva que permite activar/desactivar os temas visualizados (Figura 4). Permite-se ainda consultar toda a informação alfanumérica associada a cada uma das entidades disponíveis e visualizar fotografias, sempre que estas estão disponíveis. Tal como na aplicação desenvolvida para disponibilização do serviço Web-SIG, também neste caso, as operações de gestão da informação deverão ser realizadas sobre a base de dados.

Figura 4

Figura 4 - Aspecto da interface Web que disponibiliza informação detalhada sobre linhas de água.

No lado direito da janela encontra-se o mini-mapa e a legenda. O mini-mapa serve para localizar a área visualizada no mapa principal funcionando como mapa de enquadramento, enquanto a legenda permite activar/desactivar a visualização dos vários temas. No lado direito da janela estão também localizados os botões que permitem alterar a escala de visualização. No lado esquerdo apresenta-se o mapa principal onde o utilizador pode navegar e seleccionar as estruturas/objectos para os quais pretende obter informação.

Estruturas/objectos representados na interface:

  • Açudes;
  • Pontes;
  • Estações de Tratamento de Águas Residuais (ETAR);
  • Estações de Tratamento de Água (ETA);
  • Estações de Monitorização;
  • Aproveitamentos hidroeléctricos;
  • Captações de água;
  • Edifícios industriais;
  • Outras estruturas;
  • Eixo do rio;
  • Margem esquerda;
  • Margem direita;
  • Limites administrativos (freguesias e/ou concelhos);
  • Ortofotomapas.

A maioria dos objectos representados no mapa principal tem informação associada. Para aceder a essa informação basta clicar com o botão esquerdo do rato sobre o respectivo ícone que aparece ao longo da linha de água no mapa (Figura 5).

Figura 5

Figura 5 - Secção da linha de água com estruturas que têm informação associada.

Figura 6

Figura 6 - Vista da informação detalhada relativa a um aproveitamento hidroeléctrico.

Na janela de informação de cada estrutura é possível saber por exemplo, as dimensões da mesma, a sua localização e finalidade, bem como o grau de interferência e estado de conservação (Figura 6) ou até mesmo consultar fotografias dessa mesma estrutura (Figura 7).

Figura 7

Figura 7 - Fotografias relativas ao aproveitamento hidráulico seleccionado.




GEOMETRIA DE INFRA-ESTRUTURAS HIDRÁULICAS

O S.I.G. de infra-estruturas relativo à geometria das secções faculta ao utilizador um conjunto de informação associada à forma, dimensão e posição de todas secções transversais de adutores que integrem as infra-estruturas de um determinado sistema hídrico. A interface disponibiliza uma listbox onde é possível seleccionar o trecho e o quilómetro pretendido. Enquanto a frame do lado direito da interface mostra a localização em planta, do ponto seleccionado, a frame do lado esquerdo mostra a geometria da secção transversal e diversa informação sobre as dimensões da mesma (Figura 8).

Figura 8

Figura 8 - Aspecto geral da interface de visualização da geometria de infra-estruturas hidráulicas.

Por exemplo, na presença de uma secção trapezoidal é possível saber (caso essa informação se encontre registada na base de dados), a altura e largura da mesma, a cota da sua base e a inclinação dos seus taludes (Figura 9).

Figura 9

Figura 9 - Geometria de uma secção trapezoidal.




GESTÃO E APRESENTAÇÃO DE DADOS DE MONITORIZAÇÃO

Os dados provenientes de estações de monitorização da qualidade de água, tal como os dados referentes a estações da rede hidrométrica, constituem informação fulcral necessária à elaboração do diagnóstico sobre o estado da qualidade da água e à definição de cenários de modelação para previsão da evolução da qualidade da água de diferentes meios hídricos. Assim, na presença destes dados, torna-se importante ter uma aplicação que permita analisar e tratar estes dados. É nesse contexto que apresentamos a interface de gestão e apresentação de dados de monitorização (Figura 10).

Figura 10

Figura 10 - Estrutura da aplicação responsável pela disponibilização em ambiente Web de dados de monitorização dos meios hídricos.


O serviço disponibilizado por esta ferramenta contempla entre outras, as seguintes funcionalidades:

  • selecção da estação através de mapa ou de listagem das estações;
  • visualização em gráfico da série de dados disponível para o parâmetro seleccionado para uma determinada estação;
  • visualização dos dados em tabela e possibilidade de exportação para ficheiro compatível com a aplicação MS Excel;
  • cálculo de parâmetros estatísticos da série de dados activa.


Figura 11

Figura 11 - Descrição do serviço Web – Dados de monitorização.

A interface disponibiliza ainda uma funcionalidade bastante útil, que permite gerar um pequeno relatório com informação sobre os dados representados. Este relatório pode-se considerar uma compilação de toda a informação que é disponibilizada na interface, contendo não só dados sobre a estação, mas também a série de dados em gráfico e em tabela (Figura 12).

Figura 12

Figura 12 - Conteúdo parcial do relatório gerado automaticamente pela aplicação de consulta de dados de monitorização.





mapa do site | termos e condições | ficha técnica
Copyright © 2012 Laboratório de Hidroinformática da Universidade do Minho, All rights reserved